Notícias

Rafael Lima tem espaço na mídia em diversas entrevistas

quarta-feira, 8 de dezembro de 2021

Foto: Divulgação/AV Assessoria de Imprensa

O zagueiro Rafael Lima, que conta com passagens recentes por Paraná, Guarani da Palhoça e Caxias, conversou, em junho, com os jornalistas Janniter de Cordes, Rodrigo Santos e Fabiano Linhares, do programa Debate da Webrádio Marcou no Esporte. 

Na entrevista, Rafael falou de sua chegada ao Guarani de Palhoça com o intuito de se manter em forma e seguir treinando após sua passagem pelo Paraná Clube. Ele agradeceu aos dirigentes Amaro e Hudson pela oportunidade e também elogiou o trabalho do técnico Rafael Piccinin.

Ele comentou também sobre seus projetos para o futuro, como a intenção em retornar ao Figueirense ou para a Chapecoense no fim da carreira e também seus planos para quando pendurar as chuteiras.

Rafael também repassou rapidamente sua carreira no futebol, com passagens por diversos clubes, como Figueirense, Ceará, Al Sharjah dos Emirados Árabes, Chapecoense e América Mineiro. Pela Chape e pelo América, conquistou títulos importantes, lembrados pelo atleta na entrevista.

Confira a entrevista completa clicando no player abaixo:

Em outra entrevista, desta vez ao repórter Gabriel Tassi, do site Esporte News Mundo, Rafael falou bastante sobre suas passagens por Paraná e Coritiba. 

O zagueiro lembrou da temporada 2020 pelo Coxa, exaltou a boa relação com o treinador Eduardo Barroca e refletiu sobre os erros cometidos pelo clube na Série A. Ele também fez elogios ao grupo com quem trabalhou e ao agora técnico Mozart, que à época era auxiliar. Por fim, Rafael Lima explicou os motivos de sua saída da equipe verde e branca. 

Por outro lado, em sua passagem pelo rival Paraná, os elogios ficam restritos aos colegas de time e à história da equipe. Rafael também fez críticas construtivas e expôs seus sentimentos em relação à equipe tricolor, preocupando-se com o futuro do time. A primeira parte da reportagem pode ser acessada em sua íntegra clicando no link. Já a segunda parte, está disponível clicando aqui.

Já em outubro, Rafael participou do programa Clube da Bola, da NDTV Record, conversando com os jornalistas Sérgio Badá Badalotti, Fábio Machado, Emerson Luís, Marcelo Nunes e Renato Semensati.

Na entrevista, ele falou da ideia de ser treinador e revelou que se inspira em nomes como Hermeson Maria, Gilmar Dal Pozzo, Eduardo Barroca e Vinicius Eutrópio, técnicos com quem já trabalhou. Ele também reafirmou sua vontade de voltar a trabalhar com Figueirense e Chapecoense, após o final da carreira nos campos. O zagueiro refletiu ainda a respeito da profissão de treinador e da formação de novos zagueiros no Brasil. 

Confira a entrevista completa no player abaixo:

Por fim, em novembro, Rafael participou de um bate-papo no programa Papo de Bola, no instagram do jornalista  Alisson Francisco. Também esteve presente o meia Marquinho, que conta com passagens por Figueirense e Roma. 

Rafael Lima revelou histórias de bastidores dos clubes pelos quais atuou, além de refletir acerca da profissão de treinador e do mundo do futebol em geral, dando ênfase à relação de cobrança entre torcida e atletas. Ele comentou também sobre como foi morar nos Emirados Árabes Unidos e da tranquilidade de jogar no país, exaltando o respeito que existe em relação ao atleta profissional por lá.

O zagueiro também falou da tragédia com a Chapecoense e de como lidou com tudo, já que ele atuava pelo clube à época. Revelou também como foi sua adaptação ao América Mineiro, clube pelo qual foi campeão da Série B no ano seguinte.

Para ver a entrevista completa, clique no player abaixo: 

Já no início de dezembro, Rafael Lima conversou com os jornalistas Felipe Araújo e Mateus Silva, do podcast Papo de Bola Futebol Clube no canal do Youtube, Chuteira Preparada. Na entrevista, Rafael falou bastante de seu tempo na base do Figueirense e também de sua carreira no futebol, descontraindo ao contar  que, quando criança, gostava de jogar como goleiro mas acabou mudando de posição ainda muito cedo. 

Rafael comentou também de suas recentes passagens por Guarani de Palhoça, onde elogiou o profissionalismo do clube, e Caxias, celebrando a possibilidade de jogar um campeonato nacional pela equipe. Lembrou ainda de sua passagem nos Emirados Árabes, dizendo que só não ficou mais tempo no país por conta da restrição ao número de estrangeiros por clube. 

Rafael apontou 2013, na Chapecoense, e 2017, no América Mineiro, como seus dois melhores anos na carreira. Ele falou ainda dos cursos que vem fazendo com coachings, já pensando no final de sua carreira nos campos e refletiu sobre a importância de saber gerenciar grupos para a profissão de treinador de futebol.

Por fim, ainda lembrou de dois zagueiros com os quais gostaria de poder ter atuado: Juan, com passagens por seleção brasileira, Roma e Internacional, e Clebão, que atua nos Estados Unidos atualmente.

Veja a entrevista completa clicando no player abaixo: